Tutorial na arte de fumar com boquilha I

Inspirada pelo meu recente artigo sobre o fetiche da arte de fumar, lembrei-me de fazer um pequeno tutorial sobre a arte de fumar com uma boquilha…

Há algumas boas razões para isso! Na realidade já tenho esta ideia há algum tempo, desde que dei umas «aulas» a uma jovem brasileira no CamFrog (um site de chat com webcam com uma comunidade bastante simpática); mas depois houve mais pedidos noutros sites semelhantes. Talvez ironicamente para quem é crossdresser é que muitos dos pedidos de «lições» vinham de mulheres biológicas…

Porquê? A resposta pode ser estranha, mas fácil de perceber… as crossdressers têm orgulho na forma como apresentam uma imagem feminina glamorosa. Aprendemos umas com as outras, inspirando-nos nas que criaram uma imagem de sofisticação feminina e que assim nos ensinam a cuidar da nossa. Embora obviamente que os estilos variem um pouco — desde a imagem mais tímida à mais provocadora — a verdade é que temos imensas oportunidades para aprender.

Em contraste, as mulheres biológicas têm hoje em dia menos opções, pelo menos nalgumas áreas, nomeadamente na arte de fumar: uma geração de proibições do tabaco fizeram com que a ancestral tradição das mães ensinarem às suas filhas como fumar em público de forma condigna se tornasse numa aberração, neste mundo do «politicamente correcto». É claro que as filhas acabam por aprender a fumar por si próprias, mas os seus professores são — homens. Que fumam de uma forma completamente diferente das mulheres…

Para impedir que esta tradição se perca, temos de treinar estas jovens glamorosas e atraentes na Antiga Arte de Fumar com Glamour. Esta é a minha modesta contribuição:

As legendas no vídeo estão em inglês, e para as apanhar a todas, é possível que se tenha de carregar na «pausa» várias vezes. Mas carregando no pequeno botão vermelho com as letras CC o YouTube mostra uma legendagem adicional em português. No entanto, isto pode ser difícil de seguir, pelo que fica aqui então uma tradução com explicações mais detalhadas.

Os accessórios

Antes de mais, compre um isqueiro fininho. As mulheres usam isqueiros finos e estreitos. Os homens usam-nos quadradões e pesados. Um isqueiro Zippo é um isqueiro de homem.

Depois compre os cigarros mais compridos que conseguir, pois tudo o que seja longo e fino é automaticamente mais feminino. Cigarros que sejam todos brancos são o ideal. Em Portugal não temos muita variedade de escolha, e o maior comprimento disponível é de 100mm.

Pessoalmente sou fã de boquilhas, por isso neste vídeo meu (tal como em quase todos) estou também a usar uma boquilha. No entanto, devo explicar que existem basicamente dois tipos de boquilhas: as de fantasia (usadas no Carnaval ou em espectáculos…) e as de utilização diária. Nos anos 20 do séc. XX, toda a gente (incluindo os homens!) usavam boquilhas de fantasia, que geralmente medem uns 30 cm; mas este tipo de boquilhas, hoje em dia, é completamente ridículo. Uma boquilha elegante, nos dias que correm, não deve ser mais comprida do que o tamanho do cigarro que usarmos — ou seja, uma boquilha com 100mm seria o ideal para ser utilizada em público.

Acender um cigarro

A primeira regra é que as mulheres seguram sempre os seus cigarros (e isto inclui as boquilhas de uso diário) entre as pontas dos dedos (ou seja, entre as falanges distais), tão perto da unha quanto possível (para segurar as boquilhas de fantasia há uma técnica ligeiramente diferente, mas isso irei explorar noutro tutorial futuro…). O ponto exacto onde se pega na combinação de boquilha e cigarro depende um pouco. Se fumar apenas com um cigarro, deve segurá-lo o mais perto possível da ponta (a que é de cor alaranjada) — os homens seguram o cigarro a meio, o que fica horrível numa mulher. Se se usar uma boquilha, dado que esta contribui significamente para o peso do conjunto, o ponto de equilíbrio varia consoante o modelo (e o seu comprimento). Regra geral deve-se segurar mais ou menos a meio da boquilha, o mais perto da ponta que for confortável, mas de forma a que se mantenha o controlo: se se segurar demasiado perto da ponta, vai ser um pouco difícil de segurar.

A segunda regra é que se deve fazer tudo devagarinho: aproxime o conjunto da boquilha e cigarro da sua boca, numa curva suave, apontando no final a boquilha para cima até tocar nos lábios. Deve-se procurar o centro dos lábios, que fica com muito melhor aspecto (para um aspecto mais provocador e sensual é possível acender o cigarro com a boquilha no canto dos lábios, o que dá um ar mais «poderoso» e dramático). É evidente que vai haver um momento em que é preciso baixar a boquilha para poder acender o cigarro: para isso o melhor é segurar a ponta da boquilha com os dentes, o que permitirá suspender a boquilha em segurança nessa posição.

Não se consegue ver bem no vídeo, mas idealmente os cotovelos devem estar metidos para dentro, e a mão que segura o isqueiro voltada para fora o mais que se conseguir (eu também tenho alguma dificuldade nisto!). Idealmente devem-se usar as duas mãos para acender o cigarro, já que o gesto de «exibição» usando uma só mão (e o cigarro apenas seguro nos lábios) é tipicamente masculino.

Evite fazer «caretas» quando acende o cigarro: olhe para a chama do isqueiro e inale bem devagarinho. Depois use sempre a mesma técnica: segure a boquilha e o cigarro sempre num ângulo ascendente (são tantas as mulheres e as crossdressers que fazem isto de forma errada!); quando exalar, faça-o também num ângulo ascendente! Há muitas boas razões para isto, mas uma será imediatamente óbvia: quando se olha para cima, está-se a exibir o pescoço (ou eventualmente um colar), o que é um gesto muito feminino.

Inalando e exalando

As «profissionais» da arte de fumar — ou seja, as modelos que são contratadas para fazer filmes para os fetichistas da arte de fumar — geralmente inalam com um ar sério, mas depois sorriem. Eu naturalmente faço o mesmo, a não ser que me sinta particularmente malandreca e prefira estar a fazer um sorriso malicioso cheio de sensualidade provocadora. Mas num ambiente elegante ou casual o que acontece é que fazemos um sorriso natural entre inalações.

Porque é que as mulheres fazem uma cara séria quando inalam? Bem, depende de imensas coisas. Para os fetichistas da arte de fumar, o acto de chupar tem uma conotação com as fixações orais — logo, uma inalação muito profunda é erótica, pelo que chupar as bochechas é visto como «desejável». E, claro, fazendo isso é difícil sorrir 🙂

O que é definitivamente proibido é manter um ar sério, com olhos arregalados, entre as exalações. Lembre-se de que é suposto estar a apreciar o cigarro, e todas nós sorrimos quando apreciamos alguma coisa. Os homens, pelo contrário, não ligam muito à questão do «apreciar», por isso mantém-se sérios. Aliás, em geral, devemos estar sempre a sorrir — mesmo que seja um sorriso fugidio — quando fumamos sozinhas, não apenas quando estamos acompanhadas (nem que seja porque é um bom treino: relembramo-nos de que estamos a apreciar o acto de fumar). Para uma fetichista, fumar não é apenas um «vício sujo»: é, acima de tudo, puro prazer. Por isso mostre esse prazer que sente com um sorriso!

Pendendo («Dangling»)

Claro que as regras existem para serem quebradas (como iremos ver mais tarde). Mas primeiro vamos ver a técnica de pender o cigarro (em inglês, tem o nome técnico de «dangling» — porque o fetichismo da arte de fumar tem as suas técnicas e os seus nomes próprios!). Isto é difícil de fazer com uma boquilha de fantasia muito longa, por isso recomendo vivamente que se treine primeiro com uma boquilha de uso diário (ou seja, que meça entre 7 e 12 cm, mais ou menos). Eis o truque: estraga-se completamente o efeito se os lábios estiverem tensos e comprimidos numa linha fina, como acontece se se fizer muita força para agarrar a boquilha e/ou o cigarro. Em vez disso, mantenha o controlo total da boquilha agarrando a ponta com os dentes, e entreabra os lábios. Entreabrir os lábios é sempre sensual, mas não é preciso exagerar: basta abri-los o suficiente para que se possa exalar correctamente o fumo. Dado que quando se tem a boquilha pendente, esta tende a apontar para baixo, compensa-se exalando para cima (o que pode requerer alguma prática). Obviamente que se podem quebrar estas regras todas quando se tem a boquilha pendente e mesmo assim obter um bom efeito… mas em caso de dúvida, entreabra os lábios, pois lábios tensos e comprimidos nunca são sexy. Nem mesmo se tiver a sorte de ter lábios carnudos e sensuais.

É possível também segurar a boquilha com os dentes e apontá-la para cima — o que era muito frequente nos anos 20 e 30 do séc. XX — mas deve praticar isto com cuidado para que o aspecto geral não fique demasiado severo e «agressivo», pois é essa a impressão que irá transmitir. Talvez consiga compensar parcialmente esta severidade com um sorriso. Lembre-se que, especialmente para as crossdressers, estamos a tentar suavizar a nossa imagem, não torná-la ainda mais severa. Para os restantes fetichistas da arte de fumar, iremos sempre parecer «poderosas», mesmo que não tenhamos a intenção de fumar de uma forma «poderosa» ou «agressiva». Este é o truque da sensualidade feminina: a suavidade, bem conseguida, é poderosa em si mesma, e não requer «melhoramentos» adicionais.

Deitando cinza no cinzeiro

O meu vídeo infelizmente não mostra muito bem este último ponto, o de largar cinza no cinzeiro. A forma feminina de o fazer é dar umas pancadinhas curtas na boquilha e no cigarro ao longo do seu eixo (e não perpendicular ao eixo, que é o que os homens fazem). A ideia aqui é que tentamos imaginar a boquilha e o cigarro como uma extensão dos nossos próprios dedos. Gostamos de dedos compridos e delgados. Gostamos de unhas compridas. Da mesma forma, também gostamos de cigarros e boquilhas que prolonguem essa linha comprida imaginária ao longo do eixo dos dedos. Essa é outra razão pela qual as mulheres seguram o cigarro com dedos esticados e o apontam num ângulo ascendente: é para reforçar a linha imaginária que se prolonga na continuação dos dedos.

Também é por isso que evitamos fumar com as mãos fechadas num punho. Tentamos ter os dedos sempre estendidos, mesmo os que não estão a segurar no cigarro. Queremos encorajar a ilusão de que tudo na nossa mão é delgado e comprido. Obviamente que vai haver alturas em que vamos mesmo ter de segurar o cigarro fazendo um ângulo, mas podemos lembrarmo-nos de tornar esse ângulo o mais pequeno possível. Os homens, pelo contrário, fumam sempre com o cigarro num ângulo recto em relação aos seus dedos, e frequentemente fecham a mão (com os dedos praticamente a tocar na palma da mão). Queremos evitar estas posições tipicamente masculinas.

Quebrando as regras

É evidente que estar sempre a seguir as regras não tem piadinha nenhuma; cada uma de nós tem a sua própria personalidade e gostamos de mostrar que somos independentes 🙂 Isso é bom! Mas o que eu recomendo é que se treine primeiro segundo as regras antes de se começar a quebrá-las.

Se alguma vez aprendeu danças de salão (eu passei por isso na minha adolescência), talvez se lembre de que, a início, há uma série de «passos básicos» a aprender. Depois aprendem-se os passos mais avançados, e, finalmente, somos encorajadas a improvisar, que é justamente o que fazem depois os dançarinos profissionais. Se for como eu, se calhar já se esqueceu de tudo o que aprendeu nas aulas — excepto justamente os passos básicos 🙂 Mas eu sei que se voltasse às aulas, lembrar-me-ia imediatamente dos passos básicos, e conseguiria familiarizar-me suficientemente depressa com os restantes, com pouco treino, o que é natural: os passos básicos são a «base» da dança, com os quais «nunca ficaremos mal» — pelo contrário, conseguiremos sempre dar a ideia de que sabemos dançar. Talvez não sejamos aplaudidas como grandes dançarinas, mas pelo menos não iremos passar pela vergonha de não saber dançar.

Na arte de fumar, o mesmo se passa: uma vez tendo dominado as técnicas de base, então chega a altura de nos «exibirmos» quebrando as regras. As mulheres biológicas têm aqui uma enorme vantagem: não faz grande diferença se fumam de uma forma «esquisita», porque serão sempre vistas como mulheres, mesmo que fumem como homens. Poderão parecer pouco elegantes, mas é o pior que lhes acontece. Para nós, crossdressers, a situação é mais complicada: se «transgredirmos» as regras da arte de fumar de forma feminina, vamos apenas mostrar mais o nosso lado masculino, pois quase de certeza que iremos passar a «fumar à homem», dado que é a forma a que estamos mais habituadas (com a excepção das poucas crossdressers que só fumam quando estão vestidas de mulher: estas só precisam de aprender um único conjunto de regras, as femininas!).

A primeira regra que pode ser quebrada é simples: sorria durante todo o tempo. Isto normalmente implica um sorriso malicioso, maroto, ou sensual — o que requer o seu treino também, para parecer natural — mas significa que podemos manter esse tipo de sorriso malandreco durante todo o tempo em que estamos a fumar. Esta técnica é usada (ou era, na altura em que fumar era mais tolerado socialmente) como «técnica de engate» — é por isso que os websites de fetichistas da arte de fumar mostram esta técnica com tanta frequência, em que o sorriso maroto vai intensificar o erotismo da experiência.

O inverso, não sorrir, é muito mais difícil de conseguir, embora se vejam muitas modelos profissionais nos filmes de fetichismo da arte de fumar que fazem isso mesmo. Mas a verdade é que estas modelos têm corpos absolutamente fabulosos, pelo que os espectadores vão estar a olhar para praticamente todo o lado com delícia, e a ausência de um sorriso dá-lhes um ar ainda mais «poderoso». Por outro lado, para quem não seja particularmente atraente (ou meramente uma crossdresser…), a ausência de um sorriso vai torná-la simplesmente horrível. Sei disso por experiência própria: nos meus vídeos mais antigos, tentava criar um ar sério e sexy, e isso pura e simplesmente não resultava e tinha um aspecto horrível. (Acabei mesmo por apagar esses vídeos porque já não os conseguia suportar mais…). Porquê? Porque 90% do que observamos no rosto das pessoas é o seu sorriso, os olhos, e o cabelo. Entre estes, estranhamente é o sorriso que atrai mais a atenção. Quando tenho um ar sério, sou apenas um homem com uma peruca, fazendo uma triste figura. Quando sorrio, as pessoas começam a ter dúvidas. Isto é porque, em geral, as mulheres estão a sorrir na maior parte do tempo (bem, menos nos filmes pornográficos…) quando estão num ambiente público à conversa. Os seus sorrisos podem ser tímidos, sensuais, ou expansivos e atraentes — mas estarão sempre a sorrir. Os homens, pelo contrário, normalmente só sorriem quando estão bêbados ou depois de terem tido sexo 🙂 — bem, pronto, também sorriem em circunstâncias excepcionais, claro, mas é mais raro. Seja como for, procure estar a sorrir todo o tempo (mesmo que ninguém a esteja a observar!), e, se possível, mostre os dentes!

Uma alternativa é apenas sorrir com os lábios ligeiramente entreabertos, que é algo que um homem nunca fará (ou, se o fizer, ninguém lhe irá prestar atenção). Pode-se conseguir um excelente aspecto, muito sedutor, apenas com os lábios entreabertos — mas é preciso realmente ter lábios mesmo carnudos e sensuais, ou então o sorriso torna-se num «esgar» e vai estragar todo o efeito. Eu tenho sorte, pois os meus lábios são realmente muito femininos, mas mesmo assim não me é fácil entreabrir os lábios de forma a conseguir um bom efeito — requer mesmo muita prática para acertar com a forma correcta de o fazer.

Também é possível quebrar a regra do cigarro a apontar para cima… por exemplo, pode ser mantido numa posição horizontal, o que irá funcionar bem, desde que os dedos estejam bem esticados. Segurar o cigarro numa posição descendente é que já é mais difícil, embora muitas actrizes e modelos dos anos 50 o conseguissem fazer bem. Por outro lado, nessa altura estava na moda as mulheres serem tão curvilíneas (ao contrário das modelos de hoje em dia, que são magrinhas e completamente direitas) que o efeito de fazer um ângulo mais pronunciado com um cigarro até iria complementar o efeito. Por exemplo, até a Greta Garbo fazia poses segurando o cigarro apontado para baixo. Mas estamos a falar de uma das mulheres mais belas do século XX, por isso é que as imagens ficavam tão boas 🙂 Para nós, crossdressers ou mulheres biológicas, este tipo de pose é muito mais complicado de conseguir com um bom aspecto final.

Mas como já mencionei anteriormente, o efeito de deixar a boquilha pender da boca é uma excepção: a gravidade vai puxar o peso da boquilha para baixo, dado que os dentes apenas seguram a ponta da mesma, muito longe do ponto de equilíbrio. Claro que se pode «trincar» na boquilha com força e forçar a boquilha para cima, mas, como disse, este tipo de pose «poderosa» requer muita tensão muscular nos maxilares, e, embora seja apropriado para um certo tipo de ambientes (por exemplo, num cenário dominante/submissivo), mesmo um sorriso será sempre forçado, ou pelo menos projectará uma ideia de força (e não de suavidade). Entre os anos 30 e 50 do séc. XX, as mulheres que usavam boquilhas de fantasia até exageravam o ângulo descendente das boquilhas, e isto funcionava bem, mesmo sem sorriso. Como iremos ver num futuro tutorial (sobre a utilização de boquilhas de fantasia), é na realidade mesmo muito difícil manter uma boquilha de fantasia pendente na horizontal, porque pura e simplesmente é pesada demais.

Já que falamos em boquilhas… porquê usar uma boquilha? Muitos dos meus fãs estão sempre a protestar que não gostam das minhas boquilhas, porque uma das coisas que os excita é ver as marcas de batom num cigarro todo branco (na realidade, as boquilhas também ficam marcadas com batom, mas não se nota numa boquilha preta). Bem, para mim há três razões lógicas para usar uma boquilha (e uma quarta razão que é pura e simplesmente eu adorá-las!). A primeira razão é que as boquilhas de uso diário têm um filtro de alcatrão, que pelo menos irá evitar que muito do alcatrão contido no cigarro entre nos pulmões; é quando se substitui este filtro (que eu faço todos os dias) que ficamos mesmo chocadas ao ver a quantidade incrível de alcatrão que é depositado todos os dias nos nossos pulmões! O filtro não remove o sabor, apenas evita que entre tanto alcatrão nos pulmões (que é onde estão a maioria dos químicos altamente tóxicos). A segunda razão é evitar as manchas de nicotina nos dedos (que foi a minha razão principal para usar boquilhas desde os meus 15 anos; podia disfarçar o mau hálito com pastilhas ou lavagem dos dentes, mas seria difícil explicar aos meus pais as manchas de nicotina nos dedos). Nem toda a gente fica com manchas de nicotina nos dedos (depende do tipo de pele), mas de qualquer das formas os dedos não ficarão a cheirar tanto a tabaco se se usar uma boquilha. E a terceira razão é que não vai fumo para os olhos quando temos a boquilha entre os lábios. Estas três razões são geralmente suficientes para que as boquilhas sejam usadas por fumadores, sejam eles homens ou mulheres.

Para as mulheres, a boquilha está associada a um passado nostálgico, quando a arte de fumar era algo de glamoroso, e além disso irá realçar ainda mais a tal «linha longa imaginária» que prolonga os dedos, muito mais do que um cigarro (mesmo um cigarro comprido) — pois, enfim, a boquilha vai ser sempre mais comprida ainda. «Longo» e «comprido» são palavras que também associamos a «magro» e «elegante», que, por sua vez, são associadas a tudo o que seja feminino. É assim que a nossa mente funciona. Mas estas são realmente razões puramente emocionais. Como hoje em dia já não é moda usar boquilhas no dia-a-dia, muitas pessoas evitarão por isso usá-las. Aqui em Portugal, nos últimos 27 anos em que fumei todos os dias com uma boquilha, até hoje só vi duas pessoas a usarem-nas em público; curiosamente ambas eram homens, e até agora nunca vi nenhuma mulher a usar uma boquilha em público. Às vezes vêem-se mulheres a usar aqueles pequenos filtros transparentes que têm menos de 1 cm de comprimento e que tecnicamente são boquilhas ultra-curtas, mas é o máximo que tenho visto por aí. Fumar com uma boquilha é uma arte que está a morrer!

Chega por hoje! Espero que se tenha divertido com o vídeo e com o texto 🙂 Prometo fazer mais tutoriais; para o próximo, irei abordar algumas técnicas específicas para fetichistas da arte de fumar, coisa que uma mulher provavelmente nunca fará em público, a não ser que esteja sozinha num bar e à procura de um parceiro 🙂 À excepção de anéis de fumo, que não sei fazer, tentarei pelo menos demonstrar como se fazem inalações à francesa (French inhales), exalações pelo nariz, e outras técnicas que não têm nome em português. Se tiver oportunidade também irei demonstrar a técnica especial para segurar uma boquilha de fantasia. Todas estas técnicas, como disse, são mais apropriadas para os fetichistas da arte de fumar, enquanto que neste vídeo preferi demonstrar técnicas quotidianas da arte de fumar em público. Também se aplicam mesmo que odeie boquilhas e não as queira usar.


Este vídeo também está disponível no Blip.TV ou no iTunes.

  • Helena Cabral

    Olá, minha querida,

    Queria pedir-lhe uma ajuda: ando à procura de um sítio onde possa comprar uma boquilha, mas não encontro. Acha que me poderia ajudar, dando-me alguma referência de onde comprou as suas?

    Obrigada

    • Olá Helena! Não sei onde é que vives, mas na zona de Lisboa, as tabacarias da Baixa costumam tê-las — seja a "histórica" Havaneza no Chiado (que também existe nas Amoreiras), seja as tabacarias que ficam na Rua do Ouro, na esquina com a Rua do Carmo. As lojas Tabak (há muitas) também costumam ter boquilhas. Actualmente moro na Linha do Estoril, pelo que costumo ir ao Palmeiras Shopping, que tem uma pequena tabacaria muito bem apetrechada!

      Claro que a escolha pode não ser das maiores. Assim, a alternativa é a compra online. Uma das marcas com "mais saída" é a Denicotea, que também se vende cá, mas nunca com a vastidão de oferta que têm online. Eu pessoalmente gosto também muito das boquilhas da Dunhill, que, apesar de serem para cigarros "normais", são muito mais delgadas que as da Denicotea (tem a ver com o sistema de filtros que usam), o que acho muito elegante. A Dunhill em tempos tinha várias lojas em Portugal onde vendiam isto, mas hoje em dia só comercializam roupa e acessórios de moda. Contactando a sede (sou cliente deles há décadas — uso uma boquilha Dunhill diariamente, e faço-o desde os 17 anos!) recomendaram-me, há muitos anos atrás, a James Barber para a venda online de produtos deles. Posso recomendá-los vivamente.

      Se optares por uma boquilha da Dunhill, devo dizer-te que os filtros são caros 🙂 Devem ser mudados regularmente, coisa que faço uma vez por dia. Ora aos preços da Dunhill isto é um balúrdio! Por isso, o que faço é comprar filtros da Denicotea (que se conseguem comprar nas mesmas lojas onde vendem as boquilhas por cá, claro), e depois passo os cristais de sílica gel (nota: são especiais para serem seguros para fumadores; não servem "quaisquer cristais"!) pacientemente de uns filtros para outros. Leva meio minuto e poupa-se imenso 🙂

      Actualmente tenho duas boquilhas da Dunhill (uma mais "feminina" que a outra, que é a que uso diariamente), duas boquilhas de tamanho "médio" da Denicotea, uma de tamanho "longo", e uma — oferecida por uma amiga americana — super-extra-longa, em vários segmentos, que não dá para uso diário: é mesmo só fantasia. Mas é giríssima! 🙂

      Boas pesquisas, espero que consigas comprar algo que te agrade!

      • Esqueci-me de acrescentar que os filtros da Denicotea vendem-se em Portugal em caixas de 50 e custam cerca de €10. Dão-me para mim para 3-4 meses.

        • Ah, e enganei-me no link do site da Denicotea. O que está no outro comentário é do site americano. O site europeu é este: http://www.denicotea.de/. Não só têm preços melhores, como ainda têm mais variedade!

  • Helena Cabral

    Obrigada, Sandra. Já encomendei.

%d bloggers like this: